A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo afirmou hoje, em Angra do Heroísmo, que o Governo dos Açores tem intensificado o seu trabalho de estruturação de produtos turísticos, adiantando que foi criada recentemente “uma equipa de trabalho constituída por cinco pessoas e que tem, precisamente, como objetivo a estruturação do produto”.

Marta Guerreiro sublinhou que a Região já é reconhecida nacional e internacionalmente por ser um destino de Natureza, mas frisou que, para que as experiências dos turistas que visitam os Açores "sejam as melhores possíveis", e dado os recursos naturais do arquipélago serem "tão ricos, é nossa obrigação trabalharmos ao nível da qualificação destes recursos”.

“É precisamente o que esta equipa, com sede na Terceira, está a fazer”, acrescentou a governante, identificando os produtos que estão a ser desenvolvidos nesta fase, nomeadamente cicloturismo, trilhos, canyoning e touring cultural e paisagístico.

“Temos um levantamento feito que identifica todos os potenciais percursos cicláveis em todas as ilhas e estamos a fazer um teste piloto, que vai começar em Santa Maria, com parcerias com entidades locais, juntas de freguesia e autarquias”, permitindo criar Centros de BTT homologados pela Federação Portuguesa de Ciclismo, salientou a titular da pasta do Turismo.

Marta Guerreiro evidenciou também o “potencial enorme” do canyoning, com destaque para São Jorge e Flores, “com estruturas que permitem uma experiência do produto mais autónoma”, mas também São Miguel, Santa Maria, Faial e Terceira, onde há “a possibilidade de os praticantes experimentarem esse produto acompanhados por empresas que dinamizam este produto”.

Relativamente aos trilhos, a Secretária Regional destacou o Plano Rápido de Intervenção e Socorro, que "permite a quem precise de ajuda, com uma simples ligação para o 112, identificar facilmente o local onde se encontra e ativar os meios mais adequados ao seu socorro”.

Para a governante, este é um trabalho fundamental na valorização do destino turístico, por estruturar produtos assentes na relação do património natural e cultural, conseguindo-se, deste modo, “alargar a época alta, atraindo turistas ao longo de todo o ano, fazer com que a sua permanência seja maior e também criar oportunidades de negócio a quem está à procura de desenvolver a sua atividade nos Açores”, garantindo que “as experiências dos turistas são únicas e deixam, efetivamente, a vontade de voltar”.

A Secretária Regional falava aos jornalistas na Delegação de Turismo na ilha Terceira, que, mais do que um ponto de contacto com os agentes do setor na Terceira, tem também um papel ativo na estruturação do produto.

Marta Guerreiro reforçou que a recente nomeação da Delegada de Turismo da Terceira consegue conjugar as duas questões.

“Não só a afirmação da pessoa que representa o Turismo na ilha Terceira, mas também mais um quadro importante para trabalharmos ao nível da estruturação do produto, enquanto temática trabalhada em todo o arquipélago a partir da ilha Terceira”, afirmou.

“A forma como estamos organizados não é iminentemente geográfica, mas sim com temáticas transversais a todo o arquipélago, como acontece com os restantes dois delegados de turismo”, fazendo com que todos tenham competências de âmbito regional, frisou Marta Guerreiro.

Praia da Vitória

Ilha Terceira

Notícias Regionais

Economia

Startups

Outras Notícias

Sociedade

Saúde