Obras na Muralha iniciam  ciclo de investimentos de 5 milhões de euros

A obra de conservação e reabilitação da Muralha da Praia da Vitória é a primeira empreitada de um conjunto de investimentos municipais superiores a cinco milhões de euros, que vão ter início nos próximos meses, sendo objetivo da Autarquia praiense conseguir ser a Câmara Municipal dos Açores com mais candidaturas as fundos comunitários aprovados e executados, relativamente ao seu plafond.
O anúncio foi feito, na tarde de terça-feira, por Tibério Dinis, Presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, no ato de lançamento da empreitada de conservação e reabilitação da muralha da Cidade, orçada em cerca de 202 mil euros, dos quais 85% são comparticipados por fundos comunitários, tendo um prazo de execução de 270 dias.
“Temos aprovados pelos fundos comunitários, neste momento, cerca de oito milhões de euros de investimentos municipais. Hoje, iniciamos a execução de um total de investimento de cerca de cinco milhões. Começamos pela Muralha da Praia da Vitória, seguir-se-á o edifício dos Paços do Concelho, mas, em breve, estes investimentos começarão a ser visíveis na obra de prolongamento pedonal e ciclovia da Marginal da Praia da Vitória, ou na criação e infraestruturação do Parque Empresarial da Vila das Lajes, entre muitos outros”, revelou Tibério Dinis.
O edil referiu que este é um conjunto de investimentos “ao nível da sustentabilidade e reabilitação urbana, mas que se estenderão ao nível da sustentabilidade e crescimento do turismo”, acrescentando que outros investimentos avançarão “em breve”, na zona da marina e na frente marítima da baía “destinados às empresas marítimo-turísticas que operam na nossa Cidade”.

Autarquia com sustentabilidade,  solidez financeira e capacidade investimento

Para além de representar um investimento “na conservação do nosso património histórico e cultural”, Tibério Dinis afirma que a obra da Muralha “é a primeira de um conjunto de investimentos municipais que, por outro lado, demonstra a sustentabilidade financeira da Câmara Municipal, porque só investe quem tem capacidade, solidez e sustentabilidade financeira para tal”.
Aliás, reforçou, “a Câmara Municipal da Praia da Vitória tem uma sustentabilidade financeira que lhe permite estar na vanguarda, ao nível dos municípios dos Açores, na execução e captação de financiamento europeu. Neste sentido, prosseguiu, “esta é a primeira obra deste conjunto bastante alargado de investimentos pelo que, nos próximos meses, será bastante regular o lançamento de concursos, a apresentação de projetos e o início de obras no Concelho”.
Agradecendo a colaboração empenhada de vários quadros técnicos do Município na elaboração do projeto de conservação e reabilitação da Muralha da Praia da Vitória, Tibério Dinis enalteceu ainda “toda a cooperação técnica da Secretaria Regional da Educação e Cultura, através da Direção Regional da Cultura, num trabalho de parceria que foi eficiente e que teve em conta a melhor gestão dos recursos públicos”.

A Muralha

A Muralha da Praia da Vitória, cuja área a intervencionar ocupa 779,56 metros quadrados, é reconhecida por todos como um valioso património arquitetónico da cidade da Praia da Vitória e que aliada à sua localização encerra grande valor turístico e patrimonial. Segundo dados históricos o início da sua construção remonta a 1482, pela mão do então 1.º Capitão do Donatário da Praia, Álvaro Martins Homem.
É um dos espaços mais emblemáticos da Praia da Vitória, um pedaço da sua história, com mais de cinco séculos de existência, que reflete a identidade praiense e a resiliência do povo.
Por ser um património que exige ser recuperado e preservado a empreitada tem como pretensão a sua conservação e reabilitação ao longo de todo o percurso do Passeio do Poetas, na cidade da Praia da Vitória.

 

Praia da Vitória

Ilha Terceira

Notícias Regionais

Economia

Startups

Outras Notícias

Sociedade

Saúde