Investimento assegura reforço e qualidade  do abastecimento a 20% da população

O Presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, Tibério Dinis, assegurou, esta quarta-feira, que a empreitada de adução e abastecimento de água a Santa Rita/Juncal vai “reforçar e salvaguardar a qualidade do abastecimento de água a 20% da população do Concelho”, destacando “o fim de todas as dúvidas sobre eventuais contaminações de furos” de abastecimento público.
No âmbito de uma visita às obras, que decorrem desde início de 2019, “que apesar do ligeiro abrandamento resultante da situação pandémica que se vive, nunca parou”, Tibério Dinis revelou, ainda, que, na próxima terça-feira, dia 26, deverá reabrir à circulação automóvel, o troço da Estrada Regional entre a rotunda o Aeroporto das Lajes e a Igreja de Santa Luzia, com um piso completamente novo.
Não se prevendo atrasos na calendarização da empreitada, o edil, que se fez acompanhar pelo Vereador Tiago Ormonde, responsável municipal pela empresa Praia Ambiente (dona da obra), disse, no entanto, que têm sido confrontados “com algumas surpresas”, nomeadamente a falta do correto mapeamento de toda a rede de canalização militar (que até agora abasteceu o chamado “Bairro dos Americanos”, em Santa Rita), bem como “perspetiva-se que, quando se iniciarem a obras na Ladeira de Santa Rita, se encontre pedra por baixo do piso de asfalto, o que poderá levar a um acréscimo de trabalho e provocar alguns constrangimentos à população, uma vez que aquele é o principal acesso a Santa Rita e à Serra de Santiago”.
Apelando, por isso, à compreensão de todos, o Presidente do Município recordou que esta obra, para além de ser a maior empreitada pública candidatada a fundos comunitários pelas autarquias regionais e de ser totalmente financiada pela União Europeia e pelo Governo da República, permitirá reforçar o abastecimento público de água às freguesias de Fontinhas, São Brás, Santa Cruz e Vila das Lajes, vai levar à substituição integral da rede militar de abastecimento a Santa Rita e ao encerramento definitivo do Furo Juncal 2, sobre o qual se levantaram dúvidas sobre eventuais focos de contaminação.
“Vinte por cento da população do Concelho terá melhor água, porque passará a ter água de nascente e não água de furo, aumentando-se também a pressão e a quantidade de água disponível. Com o encerramento dos furos fazemos um trabalho preventivo de salvaguarda da qualidade da água de abastecimento público na Praia da Vitória”, afirmou o autarca.

Salvaguarda das populações  e investimento no futuro

Tibério Dinis assegura que a monitorização à qualidade da água de abastecimento público “é constante e permanente”, frisando que o investimento em curso obedece a “uma visão estratégica de futuro que pretende afastar definitivamente qualquer risco de contaminação às gerações vindouras”.
Aliás, prosseguindo essa estratégia, o Município da Praia da Vitória revela que existem “mais furos que estão também em permanente monitorização”, ao ponto de a Câmara Municipal já ter iniciado “novas conversações com o Governo da República e, até, já ter apresentado um novo projeto de empreitada para encerrar esses furos”.
“O nosso objetivo é ir captar água ao interior da ilha, a fontes mais seguras, longe de quaisquer dúvidas de eventuais contaminações e afastar, definitivamente, para as gerações futuras, qualquer risco futuro que possa acontecer”, afirmou o edil.

A obra

A obra (orçada em cerca de 2 milhões de euros, 85% comparticipados por fundos comunitários e os restantes 15% suportados pelo Fundo Ambiental gerido pelo Ministério do Ambiente do Governo da República) fará com que, pela primeira vez, a empresa Praia Ambiente e a Câmara Municipal da Praia da Vitória fiquem responsáveis por abastecer toda a população civil do Concelho.
Esta obra resulta da assinatura de dois protocolos (um com o Ministério da Defesa Nacional e, outro, com o Ministério do Ambiente) que asseguram que não haverão interrupções no abastecimento de água, por parte da rede militar, à zona de Santa Rita e que, por via do Fundo Ambiental, o Estado Português assegura o pagamento da obra na parte não financiada por fundos comunitários.
Prevista a sua conclusão total para setembro de 2021, a empreitada estende-se desde o Pico do Rocha até ao Juncal e Santa Rita, passando por São Brás, Fontinhas, Vila das Lajes e Santa Cruz, introduzindo na rede de abastecimento de água do Concelho da Praia da Vitória 14,6 quilómetros de novas condutas que permitirão a entrada na rede de mais 18,4 mil litros de água por minuto.
Os trabalhos em curso levarão também ao asfaltamento dos troços de estrada entre a Rotunda do Aeroporto e a Igreja de Santa Luzia (concluído na próxima terça-feira), bem como entre a Rotunda do Posto Um e a Rotunda de Santa Rita.

Praia da Vitória

Ilha Terceira

Notícias Regionais

Economia

Praia Links

Outras Notícias

Mundo

Sociedade

Saúde

Desporto

Música

Podcast