O Brasil contabilizou 1.212 mortes devido à covid-19 nas últimas 24 horas, informou hoje o executivo, acrescentando que o país totaliza 111.100 óbitos desde o início da pandemia, registada oficialmente em 26 de fevereiro.

Em relação ao número de infetados pelo novo coronavírus, o Brasil soma agora 3.456.652 casos confirmados, sendo que 49.298 foram contabilizados nas últimas 24 horas.

As autoridades de Saúde investigam ainda a eventual ligação de 3.173 mortes com a doença, que tem hoje uma letalidade de 3,2% no país sul-americano.

O Governo, liderado pelo Presidente Jair Bolsonaro, indicou hoje que 2.615.254 pessoas já recuperam da covid-19 no país, enquanto que 730.298 pacientes estão sob acompanhamento médico.

O foco da pandemia é São Paulo, o estado mais rico e populoso do Brasil, com cerca de 46 milhões de habitantes, que regista 721.377 infetados e 27.591 vítimas mortais.

Atualmente, 15 das 27 unidades federativas do país já ultrapassaram os 100 mil casos de infeção e 22 já somam mais de mil mortos.

Pela primeira vez desde abril, o ritmo de transmissão da covid-19 está em desaceleração no Brasil, de acordo com dados do centro de controlo de epidemias do britânico Imperial College, citados pela imprensa brasileira, que indicam que a taxa de contágio no país é agora de 0,98.

Em julho, o Brasil apresentou taxas de 1,01, situação definida como "fora de controlo". Agora, e pela primeira em 16 semanas consecutivas, o país deixa a zona vermelha representada pela taxa de transmissão acima de 1.

"O número 0,98 ainda não permite um grande otimismo. Se ele estivesse em 0,60, a certeza de queda seria maior. Mas existe uma leve tendência de decréscimo. Nas próximas semanas e nos próximos meses, o número de casos e mortes deve cair", disse o virologista Eduardo Flores, em declarações ao jornal Folha de S.Paulo.

Segundo dados do executivo, o Brasil tem agora uma incidência de 52,9 óbitos e 1.644,9 casos da doença por cada 100 mil habitantes.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 781.194 mortos e infetou mais de 22,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Notícias Regionais

Outras Notícias