“Acordo fomenta a criação de projetos inovadores e empreendedores que reforçam o ecossistema empresarial”, sublinha Tiago Ormonde

A Praia Links – Incubadora de Base Local da Praia da Vitória, e o TERINOV – Parque de Ciência e Tecnologia da Ilha Terceira, assinaram hoje, 20 de novembro, um acordo de cooperação com vista ao aproveitamento das valências e potencialidades de ambas as instituições, materializando-se no apoio ao desenvolvimento de startups e spin-offs que reforcem o ecossistema empresarial da ilha Terceira e, consequentemente, da Região.

Para Tiago Ormonde, Vereador do Município da Praia da Vitória com competência delegada nas áreas do Empreendedorismo e da Inovação, a assinatura deste protocolo vai permitir “estreitar relações e promover uma sintonia entre ambas partes” para que se conte, cada vez mais, com projetos “inovadores e empreendedores, que fomentem o ecossistema empresarial da Praia da Vitória e da ilha Terceira”.

O Autarca praiense sublinha ainda que “é muito importante para a Praia Links estar em sintonia com estas políticas de desenvolvimento e de crescimento de novas empresas e projetos, de modo a se criar emprego sustentável”.

Já o TERINOV, representado pelos Administradores Bruno Pacheco e Duarte Pimentel, sublinham que a assinatura deste protocolo “não é mais do que a formalização de algumas ações e metas que queremos alcançar”, adiantando ainda que, através deste documento, “há uma valência que é adicionada à relação entre o TERINOV e a Praia Links, que é o acolhimento de projetos de uma forma mais flexível e ágil”.

Ao abrigo do protocolo agora estabelecido ambas as instituições ficam obrigadas a apoiar e promover, em conjunto, ações formativas, concursos de ideias, seminários, conferências, programas de aceleração, fóruns, workshops, entre outras iniciativas.

Este acordo prevê também a disponibilização de espaços temporários por parte das duas entidades para softlanding ou outras modalidades de ocupação de projetos ou empresas que pretendam instalar-se, permanente ou temporariamente, para o desenvolvimento de um novo produto/serviço, validação do modelo de negócio ou aceder a novos mercados. Estes espaços serão geridos mediante a disponibilidade, o estágio de desenvolvimento dos projetos, necessidades de infraestruturas, entre outros. Os empreendedores, startups e spin-offs deverão desenvolver as suas atividades (preferencialmente e sem prejuízo de outras), nas áreas do agroalimentar, agroindústrias, tecnologias aplicadas, indústrias culturais e criativas e/ou energias renováveis.

 

 

 

Compete, especificamente à TERINOV, a facilitação de contatos e networking com entidades do Sistema Científico e Tecnológico Regional e Nacional.

O documento propõe também a divulgação das atividades realizadas em ambientes de redes sociais e websites institucionais.

Este acordo contempla ainda o intercâmbio de experiências e boas práticas, e o potencial interesse na constituição de colaborações com vista a candidaturas a programas de financiamento nacional e internacional, para além do intercâmbio de projetos e empresas ligadas a áreas tidas como estratégicas para a Região.