Esse ano o prémio ECOTROPHELIA Portugal foi atribuído a um snack que reaproveita resíduos da produção vitivinícola. O projeto vai representar Portugal no ECOTROPHELIA Europe, em outubro, na Alemanha.

“Baguitas”, um snack sob a forma de bolachas crocantes que usam como ingrediente principal uma farinha obtida do bagaço de uva das castas de Touriga Nacional e Arinto, fornecidas pela Cooperativa Carmim, foi o vencedor do Prémio ECOTROPHELIA Portugal 2021. A iniciativa é da PortugalFoods e tem como ambição promover a inovação, empreendedorismo e competitividade no setor agroalimentar a nível nacional e europeu, reunindo e desafiando estudantes, professores, investigadores e profissionais do setor a refletir sobre os produtos eco-inovadores do futuro.

O projeto vencedor foi desenvolvido uma equipa de investigadores multidisciplinar nas áreas de Ciências da Nutrição e de Design de Comunicação da Universidade Lusófona. Locais e sazonais, as bolachas “Baguitas” são fabricadas artesanalmente, mas está dentro dos planos dos promotores uma possível industrialização no futuro. A par deste prémio, este projeto arrecadou ainda a distinção Born from Knowlegde Awards (BfK), atribuído pela Agência Nacional de Inovação (ANI).

PUB

CONTINUAR A LER

O segundo lugar do Prémio ECOTROPHELIA foi para a MoliTaste, um projeto de snack com farinhas de inseto e de trigo sarraceno desenvolvido por uma equipa do Instituto Superior de Agronomia – Universidade de Lisboa, e o terceiro lugar foi ganho pela MochiPortugal, com o produto LusoMochi, uma massa de arroz glutinoso com recheio de gelado de castanha salgada e núcleo de geleia de marmelo, criado por uma equipa da Faculdade de Ciências – Universidade do Porto.

À final da competição chegaram ainda os projetos Beanlce, Legumiscas, NORTEGGIE, os Togrões, Patalgas, Pro-Ómega e Ribeirinha D’Ouro.

Em outubro, no dia 11, o projeto “Baguitas” irá representar Portugal no ECOTROPHELIA Europe, iniciativa que decorre em Colónia, na Alemanha.